Luminárias coloridas e pops

Estas luminárias fazem parte da coleção do curador de design Marco 500, que, em nome de uma sensibilidade absolutamente seletiva, abriga em um galpão de 1.000 m², no coração da Barra Funda, vários criadores de design, entre eles, os light designers, Marco Valiengo, Kelly White, a OULALAH (coletivo de design tailandês) e Claudia Troncon. Todos, verdadeiros “artistas práticos” da luz.

Com humor e fino traço, este time afiado da Luz, vai do orgânico das fibras naturais ao kitsch dos plásticos, sem a menor cerimônia e muito talento, sem subestimar as variáveis do processo de produção sustentável, nem tampouco os critérios da produção massificada. Faça-se a Luz!

Papel e laminados

Marco Valiengo, fino artesão do papel e dos laminados, vai da resina de poliéster à fibra de vidro. Sua luminária “ZED” é inspirada em um grande guarda-chuva de ponta cabeça e acende uma luz incandescente intimista.

Dendê, ouricuri, junco e piaçaba

Kelly White, designer e consultor contratado pelo projeto Cultura em Foco, desenhou abajures e lustres, com o perdão da palavra, sustentáveis. Comercializadas pela Fellicia Design em São Paulo, as luminárias são manufaturadas com milhares de fibras vegetais maravilhosamente tecidas pela Associação de Santa Luzia do Itanhy, em Sergipe. Estes artesões do Brasil profundo defendem com maestria as honras do trançado de dendê, do ouricuri, do junco e da piaçaba.

Mr. P

Já Luiz Camargo, que busca trazer ao dia a dia produtos de decoração com um design diferenciado, abriu recentemente um escritório de parcerias. Seu debuté a representação da OULALAH, um coletivo de designers tailandeses, cujo espírito de diversão está presente em todos os produtos, que bem o diga o personagem, Mr. P!… oulalah… lah!

Acrílico

Claudia Troncon, com a vossa permissão e a minha palavra, conhece por tradição de família o acrílico nas suas propriedades translúcidas, mergulha na generosa cartela multicolorida, saca a personalidade pop do polímero e, acima de tudo, é super meticulosa no quesito proporções, encontrando nas formas simples uma decorrência natural do material. Sua luminária “Frida” já é um clássico.

 

Crédito de todas as fotos: Carlos Guerriero

www.marco500.com.br