Palavras de uma noiva

Com descontraído relato em primeira pessoa, uma bela noiva conta com carinho, belas e sábias palavras, um pouco de sua história e seu casamento com exclusividade ao YES WEDDING. A gente adorou e recomenda a leitura.

Por Natasha Kunert

O André foi um presente que recebi no dia do meu vigésimo sexto aniversário. Na festa que meus colegas de trabalho ofereceram para mim, o André apareceu pela primeira vez na minha vida. Muitos meses se passaram até que se iniciasse uma amizade. Mas do dia que nos aproximamos, nos tornamos grandes e inseparáveis amigos, daqueles para toda hora. Até que um dia nos tornamos tão inseparáveis que não dava mais pra ficar só na amizade…

Antes de casar, moramos juntos por quatro inesquecíveis anos. Fizemos coisas que muitos casais normalmente fazem depois de casar: compramos apartamento, reformamos, decoramos, moramos com meus sogros, viajamos com amigos… Nesses anos, descobrimos muito sobre nós mesmos e sobre o outro: que adoramos receber família e amigos em casa, a atmosfera intimista que se cria nessas situações; que curtimos muito arquitetura, formas inéditas, design; que nossa energia rola forte de dia; que temos gostos peculiares e que no detalhe mora a grandiosidade. E, acima de tudo, descobrimos que gostamos de nos emocionar, de encontros marcantes com a vida, momentos inesquecíveis. Enfim, crescemos e amadurecemos juntos. Era hora de dar o passo mais significativo de nossas vidas: estávamos prontos para casar.

O casamento, para nós, não foi o começo de algo novo. Ao contrário, foi a afirmação do sentimento, da vida e da história que construímos juntos e que a gente queria continuar. E por tudo isso, tinha que ter a nossa cara. A cara da nossa vida, do jeitinho que ela é. A cerimônia, o horário, o local, a decoração, as músicas, a comida, tudo tinha que ser e dizer que nos tornamos como casal. Os convidados – apenas as pessoas mais íntimas, que fizeram parte e trilharam lado a lado com a gente este caminho.

A Fazenda Vila Rica, com seu clima bucólico do séc. XIX, nos proporcionou a atmosfera aconchegante dos grandes almoços de família para receber nossos convidados. E foi assim, embalados nessa atmosfera de delicadeza, refinamento e história que todo o entorno ganhou sentido. Com a decoração, vibrante e acolhedora, a grande área verde externa recebeu arranjos de flores delicadas e de verdes exuberantes, tapetes, sofás, puffs, poltronas e pequenos mimos para completar o clima “dolce far niente” tão desejado por nós. A comida foi leve como pedia a atmosfera do dia, simples nos ingredientes porém elaborada nos sabores e impecável na apresentação. Mini porções foram servidas pelo Buffet Zest como pequenas joias, para serem degustadas aos poucos, conforme o ritmo de cada um. Filme e foto capturaram a magia do dia, registrando nossos momentos como verdadeira arte em tela. A sensibilidade de cada um dos profissionais, de enxergar além de nós e cada detalhe, envolveu todos nós na mesma vibração.

Foi um dia pensado e preparado em cada detalhe para que pudéssemos usufruir de tudo o que construímos juntos e tanto apreciamos; desfrutar os prazeres da vida; e sobretudo estar junto das pessoas que amamos, que trazem brilho e sentido para nosso dia a dia. Todos os elementos, aromas, sabores, texturas e cores foram orquestrados minimamente, criando a harmonia perfeita no dia mais importante de nossas vidas.

Irina era o nome do meu vestido (by Emannuelle Junqueira). Irina preza pela elegância refinada e por uma mulher feminina, numa combinação de tecidos, formas e costuras que me interpretam. Com seu corte enviesado e decote profundo nas costas, Irina valorizou as curvas do corpo com naturalidade e intenção, remetendo à beleza simples e harmônica de outros tempos. Cabelos ondulados com maestria e olhos marcados com coloridos complementaram o visual com uma mistura de modernidade e gostosa nostalgia dos tempos de Greta Garbo e Marlene Dietrich, época que muito nos inspira. O traje do noivo (by Alexandre Won), com calças estreitas, colete e paletó justos em tecido cinza com leve brilho, habilmente executados sob o conceito “bespoke”, resgatou o refinamento dos cavalheiros com atualidade e inovação. O leve perfume vintage presente nos nossos trajes vinha reafirmar e legitimar mais uma vez o nosso apreço pela história das coisas e das pessoas e sua estética característica.

Com todos estes elementos, criamos um dia dos sonhos e vivemos este sonho em cada detalhe. Enfim, foi um dia de celebrar a nossa união com tudo que ela tem de mais belo e autêntico. Feito por nós dois, para nós dois.

O casamento é a celebração de uma união bem sucedida. É a festa de duas pessoas, com suas histórias, gostos pessoais, experiências de vida, sonhos e desejos… E para mim, o casamento deve ser o marco de tudo isso. Tem a ver com personalização e não com massificação. Com o que é verdadeiro para cada casal, e não com o mercado de casamentos, com todo seu espetáculo, dita como necessidade e verdade.

Foi pensando em tudo o que era importante para nós, individualmente e enquanto casal, que o sonho ganhou vida. A cada escolha, a cada decisão, a expressão dos nossos gostos pessoais, nossas histórias, nossos sonhos.

P.S. – veja mais detalhes desse casamento clicando AQUI.

 

www.yeswedding.com.br